Comitê de enfrentamento à arboviroses de Timóteo reforça pedido de apoio ao Estado

O Município reivindica a liberação de uma unidade de hidratação móvel com leitos, dois consultórios para atendimento e mais veículos de fumacê
PMT
I033196.jpeg
Reunião do comitê de enfrentamento ás arboviroses

O Comitê de Enfrentamento às Arboviroses de Timóteo se reuniu no fim da tarde de terça-feira (23) com representantes da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Coronel Fabriciano para discutir o apoio e a atuação do Estado no combate à dengue e Chikungunya no município. 

Participaram da reunião o prefeito Douglas Willkys, o vice-prefeito José Vespasiano Cassemiro, o Professor Vespa, o procurador-geral do Município Fabrício Araújo, a secretária de Saúde Ana Paula Campos, o presidente da Câmara Reigler Max, o superintendente regional de saúde André Luiz Custódio de Paula, técnicos da SRS e da Secretaria de Saúde de Timóteo e representantes da UPA Geraldo dos Reis Ribeiro e do Hospital e Maternidade de Timóteo (HMT).  

Durante o encontro o Município entregou ao superintendente da SRS um oficio solicitando reforço e apoio imediato do Estado via Secretaria de Saúde em virtude da situação emergencial em que se encontra Timóteo. A UPA e o HMT enfrentam superlotação na ocupação de leitos adultos, realidade constatada nas demais unidades de saúde públicas e privadas dos municípios da Região Metropolitana do Vale do Aço.

No ofício entregue à SRS o Município reivindica a liberação de uma unidade de hidratação móvel com leitos de hidratação e dois consultórios para atendimento. A ideia é instalar essa unidade no Hospital de Timóteo. “Necessitamos também da contratação de equipe qualificada para o apoio nessas unidades e a mobilização de uma força tarefa com médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, exames laboratoriais insumos e materiais de consumo para enfrentar a crescente demanda”, reforça o documento encaminhado a SRS.

“Estamos empenhando todos os nossos recursos e material humano para enfrentar essa epidemia, mas precisamos da ajuda do Estado haja vista que Timóteo possui responsabilidade no atendimento da população de outros municípios também o que tem sobrecarregado o nosso sistema de saúde”, enfatizou o prefeito Douglas Willkys.

O diretor da UPA, Belmiro Costa, reforçou a necessidade desse  apoio imediato do Estado lembrando que tanto a unidade de pronto atendimento quanto o Hospital municipal estão operando com a sua capacidade máxima, daí a necessidade de abertura de pelo menos mais 20 leitos que seriam utilizados a hidratação de pacientes.

Além dos leitos e da instalação de uma unidade móvel também foi solicitado à SRS mais dois veículos para a dispersão de fumacê pesado e a mobilização de uma força tarefa da Funasa que se incorporaria às equipes que já estão nas ruas fazendo visitas domiciliares e combatendo os focos do mosquito.
Segundo a Secretaria de Estado desde outubro do ano passado a dengue está tendo um comportamento de ano epidêmico muito parecido com os anos mais graves, como 2016 e 2019. “Isso significa que teremos um valor total maior ou um pico mais precoce, mas definitivamente será um ano muito difícil”, pontuou o secretário Fábio Baccheretti. 

De acordo com estimativas do órgão, o pico da dengue e chikungunya deve ocorrer em março. Nesse sentido, para além das ações desenvolvidas pelo Município a cooperação da população e dos empresários é fundamental nesse momento como a liberação do acesso e vistorias no interior dos domicílios e das empresas aos agentes de endemias para fazer o tratamento de focos do mosquito Aedes aegypti, caso seja necessário.

Fonte : PMT

Compartilhe: